Em homenagem ao Dia da Consciência Negra (20 de novembro), o Instituto Baccarelli teve uma apresentação especial da Orquestra Sinfônica Heliópolis, sob regência de Edilson Ventureli e participações da soprano Érika Muniz, integrante do Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, e do flautista Leandro Oliveira.

No palco, Érika interpretou obras como O Lingua Benedicta – Para Soprano Solo, Cordas e Continuo, de José Maurício Nunes Garcia (1767-1830), e Essa Nega Fulô, de Radamés Gnattali (1906-1988). A plateia levantou-se com a apresentação impressionante da soprano e também professora de canto lírico do Instituto Baccarelli, que encheu de orgulho parte de seus alunos que acompanhavam a apresentação. O maestro Ventureli, afirmou emocionado, após o evento, que essa foi “uma das mais belas apresentações que já fez”.

Na capital fluminense, a soprano carioca integrou o Coro de Câmara da Proarte, regido por Carlos Alberto Figueiredo, e o Coro Sinfônico do Rio de Janeiro, sob regência de Julio Moretzsohn. Atualmente, é orientada por Isabel Maresca. Como solista, Érika Muniz ainda atuou em óperas como Porgy and Bess (Gershwin), Dido and Aeneas (Purcell), L’Italiana in Londra (Cimarosa), Sonho de uma Noite de Verão (Britten), bem como na Nona Sinfonia (Beethoven), Réquiem (Mozart) e na Missa em Si Menor (Bach), entre outras obras.